“Jamais se conformaram com presidente de origem popular”, afirmou Belluzzo

Brasil de Fato | Recife (PE), 

Decisão sobre condenação de Lula foi anunciada um dia depois de votação da reforma trabalhista no Senado / Ricardo Stuckert | Instituto Lula

 

No mesmo dia em que o juiz federal de primeira instância Sérgio Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão, sindicatos de Pernambuco realizaram um ato de solidariedade ao ex-presidente, no Recife. Para o economista e professor Luiz Gonzaga Belluzzo, presente no ato, a condenação de Lula é a expressão de uma "estratégia das classes dominantes brasileiras, que jamais se conformaram com um presidente de origem popular e operária".

Para Belluzzo, a aprovação da reforma trabalhista no Senado um dia antes da divulgação da condenação de Lula "não é uma coincidência, é uma conjunção de forças que se movimentaram contra as políticas que levaram o Brasil a diminuir a desigualdade. A hostilidade e essa tentativa de reforma trabalhista é uma forma de se fazer uma regressão, e a condenação do Lula é simbólica nesse sentido".

Ele salienta que a imagem de Lula como um presidente oriundo das classes populares "não entra no repertório das classes dominantes e dirigentes no Brasil". "Nós estamos vivendo um momento em que nós que, digamos, acalentamos esse projeto da igualdade, do avanço social, nós temos que nos mobilizar de verdade. E fazer isso com persistência, porque não adianta fazer um dia e depois sumir nos temos que nos organizar, nos mobilizar", avalia Belluzzo, que foi consultor de órgãos nacionais e internacionais e assessor do deputado constituinte Ulisses Guimarães.

Para a deputada estadual e vice-presidente do PT em Pernambuco, Teresa Leitão, que estava presente no ato realizado na sede do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, o anúncio da condenação de Lula nesta quarta-feira (12) também não foi uma coincidência, mas uma estratégia de consolidação do golpe. A parlamentar chama ainda a atenção para as votações que acontecem atualmente no Congresso.

"O fato de ter sido logo após a reforma trabalhista indica que há uma verdadeira orquestração, porque não só a reforma trabalhista que foi votada na terça, como também na quarta na CCJ está a votação da admissibilidade da abertura do processo contra Temer. Se foca em Lula, porque se desvia a atenção do perigo que está ocorrendo no Congresso Nacional. A condenação de Lula não foi feita por um juiz, foi feita por um militante político que está dando lado à Justiça. Depois de três anos investigando uma questão na qual ele não conseguiu recolher uma prova sequer, condena Lula em meio a todo esse processo pra que haja realmente um desvio de foco e o golpe siga prosperando", afirma a deputada. 

Lula foi condenado por Moro, em sentença de primeira instância nessa quarta-feira (12), pelos pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em investigação da Operação Lava Jato. O ex-presidente é acusado de supostamente ter recebido um apartamento tríplex no Guarujá, litoral paulista. Da decisão de condenação de Lula cabe recurso no Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

O ato de solidariedade ao ex-presidente Lula no Recife foi realizado pelos Sindicatos dos Urbanitários, dos Bancários e dos Metalúrgicos, e pela Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Edição: Monyse Ravenna

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × um =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp