Metalúrgicos fecham rodovia de acesso a Suape em protesto pelos trabalhadores do EAS

Trabalhadores param as atividades em protesto no Estaleiro Atlântico Sul. Foto: Maiara Melo

 

Os Metalúrgicos de Pernambuco fecharam as vias de acesso a Suape, na manhã desta segunda-feira (08), como forma de protesto pelos trabalhadores do Estaleiro Atlântico Sul (EAS). O ato interrompeu o fluxo das duas vias de acesso ao Complexo Portuário de Suape, na Curva do Boi, causando engarrafamentos quilométricos nos dois sentidos. Ao lado dos trabalhadores, o Sindmetal-PE pediu que a gestão da empresa forneça o reajuste do ticket, acordado desde setembro durante a Campanha Salarial, equivalente a R$ 50, mas que ainda não foi feito o repasse.

 

Parte dos trabalhadores parados em assembleia. Foto: Maiara Melo

 

“Além disso, estamos recebendo muitas denúncias sobre a prática de assédio moral, com agressões físicas, inclusive, e os constantes acidentes de trabalho, que mostram a ineficiência das chefias. Há ainda, casos de demissões de pessoas doentes e mais velhas, prestes a se aposentar”, explica o presidente do Sindmtal-PE, Henrique Gomes. “Apesar de o acordo ter sido feito durante a campanha salarial, e aplicado por todas as empresas para os trabalhadores e trabalhadoras da categoria, a gestão do EAS tem pedido uma contrapartida para reajustar o benefício, que seria a criação de um terceiro turno de trabalho. Isso não existe e não vamos aceitar”, continuou Henrique Gomes.

 

Vias interditadas pelos manifestantes. Foto: Maiara Melo

 

O presidente da CUT Pernambuco, Carlos Veras, também esteve presente no ato e falou sobre a necessidade da organização dos trabalhadores para que haja uma resposta do EAS. “É preciso que o trabalhador esteja unido contra os desmandos e retiradas de direitos. Que nenhuma empresa esqueça o poder do trabalhador organizado. Hoje, estamos mostrando a eles que existe luta, com a adesão dos homens e mulheres que estão aqui presentes”, afirmou Carlos Veras. “Não vamos permitir que a nossa categoria seja humilhada e desvalorizada. Estamos unidos por nenhum direito a menos”, insistiu Henrique Gomes.

 

Presidente do Sindmetal-PE Henrique Gomes e o presidente da CUT-PE Carlos Veras. Foto: Maiara Melo

 

Atualmente, o ticket é de R$ 350 e os metalúrgicos lutam para que seja reajustado para R$ 400, com retroativo ao mês de setembro. O protesto começou às 7h seguindo até 9h40, quando a pista foi liberada com o apoio do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. Logo após o ato, uma comissão formada por dirigentes sindicais foi recebida pelo Estaleiro Atlântico Sul.

 

As vias foram liberadas às 9h40, com o apoio do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. Foto: Maiara Melo

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 6 =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp