Nota de Repúdio

Trabalhadores metalúrgicos se revoltaram por serem proibidos e ameaçados de participarem da Assembleia Geral da campanha salarial 2019/2020, que aconteceu nesta quarta-feira (04/12), no estacionamento da Fábrica da Jeep – Fiat Chrysler, em Goiana, Região Metropolitana do Recife.

O Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos (Sindmetal-PE), vem recebendo várias denúncias sobre o posicionamento que a empresa tomou em relação a assembleia. Segundo informações repassadas pela categoria, o polo automotivo determinou apenas que seus colaboradores participassem da reunião, fazendo um número de mais ou menos 170 pessoas.

Segundo o Presidente do Sindmetal-PE, Henrique Gomes, o objetivo foi proposital para desmobilizar a atividade do sindicato, uma vez que a empresa, hoje, tem em média 14 mil em seu quadro de funcionários. “Os metalúrgicos informaram também, que foram ameaçados de advertência e até demissão caso fossem a assembleia, o que se configura como uma prática antissindical descabida e irresponsável da empresa”, afirmou Henrique Gomes.

Em verdade, a atividade sindical representa passos fortes na garantia da execução dos direitos trabalhistas. O empregador na tentativa de livrar-se do incomodo de um sindicalismo reivindicatório e vigilante dos interesses dos trabalhadores, impedem à categoria de exercer seu direito democrático de liberdade, isto é, de acompanhar a assembleia de aprovação de pauta da campanha salarial, onde traz entre outras propostas: melhorias para condições de trabalho, segurança e salários dignos para os trabalhadores (as).

O Sindmetal –PE defende um sindicalismo plural, democrático, com participação efetiva dos trabalhadores, sem violência, intimidação, coação e, sobretudo, autônomo em relação a governos e patrões. Seguimos na luta e estamos juntos em defasa dos trabalhadores metalúrgicos de Pernambuco.

   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + oito =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp