Novembro Azul – Câncer InfantoJuvenil

Durante o mês de novembro descobrimos porque ele é conhecido como novembro azul, o mês de combate ao câncer de próstata e ao diabetes. Mas o mês também tem a cor dourada, em referência à conscientização sobre o câncer infanto-Juvenil, e nesta última semana de novembro vamos abordar sobre esse tema com o objetivo de alertar os pais sobre essa doença que acomete indivíduos de 0 a 19 anos de idade.

Segundo a estimativa do Inca, em 2020 o Brasil teve 8.460 casos de câncer na faixa etária de zero a 19 anos. Sendo 4.310 para o sexo masculino e 4.150 para o sexo feminino. Assim como em países desenvolvidos, no Brasil, o câncer já representa a primeira causa de morte (8% do total) por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos.

O câncer infantojuvenil corresponde a um grupo de várias doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo. Diferentemente do câncer do adulto, o câncer infantojuvenil geralmente afeta as células do sistema sanguíneo e os tecidos de sustentação. Por serem predominantemente de natureza embrionária, tumores na criança e no adolescente são constituídos de células indiferenciadas, o que, geralmente, proporciona melhor resposta aos tratamentos atuais.

Os tumores mais frequentes na infância e na adolescência são as leucemias (que afetam os glóbulos brancos), os que atingem o sistema nervoso central e os linfomas (sistema linfático). Também acometem crianças e adolescentes o neuroblastoma (tumor de células do sistema nervoso periférico, frequentemente de localização abdominal), tumor de Wilms (tipo de tumor renal), retinoblastoma (afeta a retina, fundo do olho), tumor germinativo (das células que originam os ovários e os testículos), osteossarcoma (tumor ósseo) e sarcomas (tumores de partes moles).

            Como identificar os cânceres infantis

(imagem via http://www.blog.saude.gov.br/index.php/geral/53523-cancer-infantojuvenil)

Nas últimas quatro décadas, o progresso no tratamento do câncer na infância e na adolescência foi extremamente significativo. Hoje, em torno de 80% das crianças e adolescentes acometidos da doença podem ser curados, se diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados. A maioria deles terá boa qualidade de vida após o tratamento adequado.

fique atento!

#juntossomosmaisfortes

fonte: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-infantojuvenil

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − 2 =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp