Lula rebate Odebrecht: ‘Tem gente fazendo do denuncismo mentiroso um modo de viver’

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva repudiou as acusações do empreiteiro Marcelo Odebrecht, no âmbito da Operação Lava Jato, vazadas a imprensa na segunda-feira (10) e negou que tenha solicitado qualquer recurso indevido à Odebrecht. Em nota, o Instituto Lula afirma que todas as doações, da Odebrecht e demais empresas, "foram feitas com os devidos registros e nota fiscal, dentro da lei e já foram informadas para a Operação Lava Jato pelo próprio Instituto no fim de 2015."

Em entrevista à rádio Meio Norte, do Piauí, na manhã desta terça-feira (11), o ex-presidente Lula também falou sobre a perseguição jurídica que vem sofrendo desde 2014, que envolvem boatos de uma eventual prisão. "Alguém, para ser preso, deve ter cometido um crime, e a polícia e a Justiça precisam ter provas para condenar uma pessoa. Estou há três anos ouvindo meu nome, há três anos esperando", afirmou.

Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, Marcelo Odebrecht afirmou que o codinome "amigo" que aparece nas planilhas de propina da construtora se refere ao ex-presidente. Lula diz não guardar nenhuma relação com a suposta planilha e que também desconhece o suposto apelido.

O ex-presidente também denunciou o vazamento seletivo e ilegal do conteúdo do depoimento, que deveria permanecer sob sigilo, e voltou a desafiar: "Duvido que tenha um empresário neste país que possa dizer que o Lula pediu cinco centavos para ele. Já investigaram minha vida até na China, e podem continuar investigando. O que não dá é para conviver todos os dias com vazamentos mentirosos, com alguns canalhas vazando as coisas propositadamente. Isso cansou o Brasil. Tem gente que está fazendo deste denuncismo um modo de viver, e isso está quebrando o país."

"O ex-presidente Lula e seus familiares tiveram seus sigilos fiscais e telefônicos quebrados, sua residência e de seus familiares sofreram busca e apreensão há mais de um ano, mais de 100 testemunhas foram ouvidas em processos e não foi encontrado nenhum recurso indevido para o ex-presidente. Lula jamais solicitou qualquer recurso indevido para a Odebrecht ou para qualquer outra empresa e sempre agiu dentro da lei antes, durante e depois de ser presidente da República democraticamente eleito por dois mandatos", afirma o Instituto Lula.

O Instituto Lula também negou que o terreno onde funciona a sua sede teria sido comprado e doado pela Odebrecht, em 2014, e lembrou que o instituto funciona em uma casa adquirida em 1991 por entidade que deu origem ao Instituto Cidadania e, posteriormente, ao que leva o nome do ex-presidente. "O Instituto jamais teve outra sede ou terreno nem recebeu nenhum terreno da Odebrecht."

Para Lula, tal quadro de denuncismo e perseguição são componentes da crise pela qual passa o país e que só poderá ser superada com a constituição de um novo governo eleito democraticamente pelo povo. Ele também defendeu a atuação do Estado para garantir oportunidades de inclusão social, emprego e renda para a população mais pobre. "Precisamos reconstruir o Brasil, porque tem gente torcendo para destruir o país"

(Fonte: Rede Brasil Atual)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 + 13 =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp