8 de março – Dia internacional da mulher é todo dia

Temos motivos e orgulho para comemorar o dia internacional da mulher. O Sindmetal-PE se orgulha desse dia e de cada conquista feminina obtida ao longo de décadas. Trata-se de uma celebração de conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres, sendo adotado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e, consequentemente, por diversos países. No entanto, não foi fácil para elas. A luta das mulheres por melhores condições de vida e trabalho começou a partir do final do século XIX, principalmente na Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de 15 horas diárias, os baixos salários e a discriminação de gênero eram alguns dos pontos que eram debatidos pelas manifestantes da época.

Também nas primeiras décadas do século, as mulheres começaram a lutar pelo direito ao voto e à participação política. Apesar disso, por muito tempo, a data foi esquecida e acabou sendo recuperada somente com o movimento feminista nos anos 60.

Atualmente, além do caráter festivo e comemorativo, o Dia Internacional da Mulher ainda continua servindo como conscientização para evitar as desigualdades de gênero em todas as sociedades.

Os impactos da pandemia na vida das mulheres

Os efeitos da crise de saúde e do distanciamento social foram profundos na vida e no trabalho das mulheres brasileiras. Dados do IBGE revelam que no terceiro trimestre de 2020 e 2021, o Brasil registrou 8,5 milhões de mulheres a menos na força de trabalho, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

O Brasil, que já ocupava o posto de segundo país das Américas que mais sofre com casos de depressão e ansiedade, viu uma piora na sanidade de seu povo, tanto por conta da própria pandemia quanto pelo seu prolongamento. As mulheres são as que mais têm sentido o impacto da pandemia na saúde mental.

Pois, a crise não é apenas sanitária; é humanitária e é financeira. E escancarou o que muitas já sabiam: a maioria das mulheres cumpre jornada dupla, às vezes tripla, e o esgotamento físico e mental acelera ou desperta doenças emocionais, como a depressão, a ansiedade e o stress.

Fora as questões domésticas, existe ainda um dado alarmante: o aumento de violência dentro de casa. Uma parcela delas, inserida em relacionamentos tóxicos e abusivos, não está segura nem dentro do próprio lar.

O confinamento e maior convívio com parceiros problemáticos resultou no aumento de registros de violência doméstica em 35% segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

 Fala do presidente

O presidente do Sindmetal-PE Henrique Gomes, em nome de toda a diretoria do Sindicato parabeniza todas as mulheres, em especial as da categoria metalúrgica pelo seu dia, e ressalta que a união, a força e a determinação das mulheres nas lutas do sindicato são fundamentais para que conquistemos as vitórias que tanto buscamos. Parabéns mulheres pelo seu dia, mas nunca se esqueçam de que são seus também os outros 365 dias do ano!

Você sabia que o Sindmetal-PE tem uma secretaria das mulheres?

A secretaria da mulher é formada por um coletivo de 9 diretoras metalúrgicas, que surgiu com a necessidade de realizar politicas para as mulheres metalúrgicas, que fazem o chão de fábrica, enfrentando assim às desigualdades impostas nos espaços de trabalho. Assim a secretaria tem como principal objetivo, combater o assédio moral e sexual sofrido pelas trabalhadoras dentro das empresas e conscientizar as metalúrgicas sobre os seus direitos.

Fala da secretaria da mulher:

“Nossas pautas são feministas, lutaremos para acabar com a desigualdade de gênero, pela eu equidade dos sexos, nos planos políticos, social e econômico. Contra o machismo, o patriarcado, racismo e a homofobia.”

#juntassomosmaisfortes

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

doze − 6 =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp