Paulo Câmara culpa Temer por crise no estaleiro

Poucas horas após acompanhar a visita do ministro dos Transportes, Valter Casimiro, ao Estaleiro Atlântico Sul, o governador Paulo Câmara (PSB) fez duras críticas ao que aponta como “sucateamento da indústria naval brasileira”, no governo Temer, e a ausência de uma política nacional de segurança pública. O socialista lamentou, ontem, o “viés liberal ao extremo” do governo emedebista, que ameaça fechar as portas do estaleiro ao prever tributação zero sobre a importação de navios. Paulo fez questão de frisar que o empreendimento é prioridade para o desenvolvimento do Nordeste e, em especial, do estado. Reforçou ainda que, se o estaleiro for fechado, a conta será cobrada a Temer, que tem alta rejeição na região. 

Segundo o governador, o empenho dos trabalhadores pernambucanos para montar e entregar os navios em tempo recorde se transformou numa referência mundial, de maneira que as importações não se justificam. “Infelizmente, o governo federal vem nesse viés liberal ao extremo e quer fechar nossos estaleiros para trazer navios da China. Então, fui ao ministro mostrar como é fundamental consolidar o Nordeste como região, que tem futuro, condições de ser o braço importante e impulsionador do crescimento brasileiro”, afirmou, durante almoço com representantes da Câmara dos Dirigentes Lojistas. 

Paulo Câmara também falou sobre as crises econômica, política e ética do Brasil, dois dias depois de o Caged divulgar que o estado teve o pior saldo de empregos no mês de março de todo Brasil em relação a fevereiro deste ano. “Nem o mais pessimista imaginava que o Brasil ia entrar, sem precedentes, numa crise política, econômica e ética, como essa. É importante discutir como realmente isso afetou Pernambuco, as pessoas e o Brasil como um todo”, declarou, para depois complementar que seu governo não ficou paralisado. 

“As pessoas continuam a investir em Pernambuco porque confiam em Pernambuco”, completou. Ainda de acordo com o governador, a crise e a falta de uma política integrada de segurança provocou o aumento da violência em todo o país, que só está se revertendo no estado agora por conta da contratação de novos profissionais da área e investimentos. 

Afagos 
Durante o almoço, Paulo recebeu elogios pela redução da criminalidade em Pernambuco desde novembro. Todos os discursos dos empresários foram nessa linha. “Talvez o nosso comércio seja o mais policiado do Nordeste”, declarou Eduardo Catão, presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Pernambuco. “Somos o único estado que está reduzindo a violência, numa tendência de vários meses”, completou Geraldo Julio.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

9 + onze =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp