Lula quer ouvir o diretório local

Ciente das dificuldades que o PT-PE vem enfrentando em construir um caminho unificado para as eleições majoritárias, o ex-presidente Lula se reunirá, hoje, com a cúpula da Executiva estadual. O foco do encontro, que ocorrerá em São Paulo, será debater e trocar impressões sobre o horizonte que se apresenta para as eleições em Pernambuco. A reunião foi proposta pelo Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) da Executiva nacional, após constatar dificuldades em compor em alguns diretórios regionais.

Na capital paulista, às 10h30, Lula e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, se reunirão com o senador Humberto Costa, os ex-prefeitos João Paulo e João da Costa, além do presidente estadual Bruno Ribeiro. Interessados direto na discussão sobre o processo eleitoral, os pré-candidatos ao Governo, Marília Arraes, José de Oliveira e Odacy Amorim também marcarão presença assim como a deputada Teresa Leitão, o ex-comandante do PT do Recife, Oscar Barreto, e os lideres sindicais Carlos Veras (CUT) e Doriel Barros (Fetape). 

Como não existe uma inclinação formal por uma política de aliança com o PSB no Estado, os petistas pernambucanos esperam ouvir do ex-presidente alguma sinalização mais clara sobre possíveis costuras. Nos últimos meses, Lula, por sinal, vem dando mostras que esse poderá ser o caminho natural. Além de ter se reunido com socialistas nos últimos dias, ele já determinou que os correligionários voltassem a dialogar com os antigos aliados. 

No PT-PE, no entanto, não há consenso. Uma ala quer candidatura própria e outra defende a aliança. "No PT, tem posição exposta de não fazer aliança, pelo menos, no primeiro turno. Mas tem os que não se colocam publicamente pela aliança. Então, vamos ouvir o presidente", disse Leitão, que vem defendendo a postulação de Marília. 

Celeuma
Nos bastidores, informações dão conta que Teresa Leitão, Marília e Carlos Veras, inclusive, teriam ido ao encontro de Gleisi para argumentar a necessidade de uma candidatura própria com base em pesquisas que apontam Arraes bem colocada. Petistas, em reserva, também afirmam que o grupo teria pressionado um encontro com Lula antes mesmo da reunião de hoje para fortalecer a tese de candidatura. A tentativa foi vista como negativa. Procurada, Leitão negou qualquer movimentação contrária a agenda oficial. Em meio ao racha, a expectativa é que o petista-mor mostre a estratégia a ser adotada.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um × dois =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp