Resultado sobre petróleo sai em 2019

Os dados da avaliação sísmica que serão colhidos pela norueguesa Spectrum Geo na bacia Pernambuco/Paraíba serão divulgados em 2019 na 16ª rodada de leilões, promovida pela Agência Nacional de Petróleo e Gás (ANP), a fim de serem vendidas às empresas petrolíferas interessadas em investir nesse campo. Nos próximos dez anos, é a Spectrum que terá o direito de venda desse mapeamento para as operadoras, tanto do Brasil quanto estrangeiras. O estudo, que irá começar a ocorrer em abril com a expectativa de duração de até três meses, tem o objetivo de fazer um levantamento de dados lineares 2D utilizando um navio que mapeará uma área de cinco mil quilômetros.

Contando com uma equipe de cerca de 100 profissionais, entre pernambucanos e estrangeiros, o montante de investimento nessa operação, que também contará com a parceria da empresa chinesa BGP, será na ordem de US$ 25 milhões. Todos os detalhes dessa operação foram divulgados na manhã de ontem pelo gerente geral da Espectrum Geo no Brasil, João Corrêa. “É um navio sísmico que já está atracado em Pernambuco, e que terá um custo de operação diário de US$ 100 mil. Ele é totalmente equipado para esse tipo de processo e irá contar com a ajuda de duas embarcações menores que farão o apoio e ajudarão na questão de preservação e cuidado com os animais marinhos”, afirmou. O navio, com nome de BGP Challenger, já está no Porto do Recife desde sábado e poderá realizar o mapeamento a 57km de distância da costa.

Um grupo de cerca de 60 pessoas embarcará para o alto-mar e 30 estarão em terra, entre elas geofísicos, cartógrafos, biólogos, oceanógrafos e equipe de processamento. “A ação vai se dar por meio de uma espécie de radiografía, só que sísmica e ininterrupta. Os equipamentos geofísicos no navio medirão a fonte sonora através de sensores que podem identificar a existência de petróleo na região”, disse Corrêa.

O estudo, que já tem a autorização da Marinha e da ANP, está sob aguardo da licença ambiental, que tem a expectativa de ser liberada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) até o final desta semana.

De acordo com João Corrêa, a investigação de dados nesse campo representa uma primeira etapa para a exploração de petróleo no futuro. “O investimento nessa ação é 100% nosso. Já atuamos em outras áreas inexploradas para fazer esse tipo de estudo e, mesmo como uma atividade de risco, nós temos a garantia de venda desses dados tanto para as empresas petrolíferas do país quanto de fora, garantindo assim o nosso retorno.”

A operação vai possibilitar a arrecadação de receitas para o estado e os municípios, através de investimentos diretos, impostos e, em caso de sucesso exploratório, os royalties da produção no futuro. A empresa norueguesa está presente no país desde 2011 e, de lá pra cá, já investiu mais de US$ 300 milhões nesse setor.

 

Fonte: http://www.impresso.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/cadernos/economia/2018/03/29/interna_economia,185360/resultado-sobre-petroleo-sai-em-2019.shtml

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

12 + um =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp