SecMulher-PE realiza: Negritude, Gênero e Resistência

A Secretaria da Mulher de Pernambuco (SecMulher-PE) e o Comitê das Mulheres Negras Metropolitanas, com o apoio da Secretaria da Mulher de Garanhuns, realizarão na próxima quarta-feira (04) o evento Negritude, Gênero e Resistência. A ação acontece no auditório do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Pernambuco (Cedim-PE) que fica na Avenida Alfredo Lisboa, 188, 2º andar, em frente ao Centro do Artesanato, no Marco Zero. Essa iniciativa faz parte do calendário do Dia Internacional da Mulher e do Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial. Este último, ocorrido no dia 21 de Março. 
Entre as atrações, estão a peça teatral Clamor Negro, da atriz Odailta Alves e a participação especial da contadora de história Dayse Constantino. Também haverá a apresentação do Coletivo Poétnico, de Garanhuns, seguido da roda de diálogo. 
“Será um momento também de homenagear a vereadora Marielle Franco, assassinada no dia 14 de março, no Rio de Janeiro”, explica Beatriz Vidal, gerente de Fortalecimento Sociopolítico da SecMulher-PE. 
O evento está aberto ao público, contudo com vagas limitadas. As pessoas interessadas podem ligar para o 3183-2975 ou enviar um whatsApp (81) 997409898. 
ARTE E CULTURA – Durante o evento haverá a apresentação da peça Clamor Negro baseada em livro homônimo a peça de autoria da atriz Odailta Alves que traz poesia e música à cena para debater questões de preconceito e genocídio. O espetáculo é um monólogo com oito partes focado na mulher negra. Também haverá a apresentação do 
Coletivo Poétinico com recitais de poesia do livro poétnico. 
Poétnico – Um poema para Preta, um misto de poesia e contos que narra uma história de amor “proibida”. No livro, um fazendeiro tem um caso de amor com uma de suas escravas, Preta, protagonista da história. A força da paixão de Preta influencia o amado a libertar os demais escravizados e assim, do amor proibido, nasce a liberdade.
“Poétnico evidencia o poder da mulher negra, que luta e usa todas as armas para libertar seu povo da opressão. Relata o surgimento de duas comunidades quilombolas de Brejão, lugares de refúgio, esperança de liberdade e vida digna”, conta o autor, nascido em uma comunidade quilombola no município de Brejão, no interior de Pernambuco.

Evento:
NEGRITUDE, GÊNERO E RESISTÊNCIA – 
Data: 04/04/18
Hora: 8h30 às 12h
Local: Avenida Alfredo Lisboa, 188, 2º andar, em frente ao Centro do Artesanato

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + catorze =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp