Planalto deixa reforma da Previdência para depois da denúncia

Apesar das cobranças públicas do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, para que haja prioridade na votação da reforma da Previdência, a ordem no Palácio do Planalto é priorizar a partir de agora a votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, na Câmara dos Deputados.

Só depois é que a agenda de reformas será retomada. "Não dá para tentar votar tudo ao mesmo tempo. Não há capital político para isso. Nossa prioridade será a denúncia", avisou um articulador político do governo.

Temer foi denunciado ao Supremo pela Procuradoria Geral da República pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. Mas o STF só poderá analisar a acusação se a Câmara autorizar.

(Fonte: Gerson Camarotti – G1)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

catorze − onze =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp