União para ampliar conexões com Suape

Tornar o Complexo de Suape num cluster (aglomerado) mundial de logística e inovação. Isso é possível? Sim, mas é preciso um trabalho longo que envolve a união entre a iniciativa pública e a privada e uma maior conexão do porto com o Porto Digital, no Recife. Esse foi o ponto focal do debate organizado pelo Cone – Condomínio de Negócios que reuniu, na manhã de ontem, no Teatro do RioMar, nomes como Marcos Roberto Dubeux, presidente do Cone, Paulo Câmara, governador de Pernambuco, Jorge Quijano, CEO do Canal do Panamá, e Yossi Sheffi, diretor do Centro de Transportes e Logística do Massachusetts Institute of Technology. Eles apresentaram casos de sucesso e apontaram fatores que ajudariam Suape a crescer.

“Hoje, Pernambuco conta com 54 cursos superiores e pós de logística e mais de 100 cursos técnicos. A gente tem o Cone, que reúne 77 empresas e 6,3 mil pessoas. Temos um aeroporto com a capacidade de crescer cerca de 8% ao ano. São fatores muito positivos. Por outro lado, temos péssimas estradas e 60% das cargas passam pelo modal rodoviário. Também precisamos muito de uma ferrovia, e a Transordestina está parada”, avalia Marcos Dubeux, que abriu o evento.  Para o governador Paulo Câmara, os avanços estão acontecendo, como o aumento de destinos nacionais saindo do Aeroporto do Recife, que passou de 14 para 30 nos últimos três anos. “Também tivemos, no mesmo período, o aumento dos destinos internacionais de quatro para 16”, reforçou. Segundo ele, o estado está disposto a ajudar na consolidação do cluster Suape.

Um dos caminhos para Pernambuco, na opinião de Jorge Quijano, pode ser aumentar a comunicação de Suape com o Panamá. “Queremos fortalecer nossas rotas do Atlântico, e a América Latina é um dos nossos focos. Infelizmente, Suape ainda não aparece nos estudos oficiais, mas sabemos que o porto pode aumentar sua movimentação e atrair navios maiores”, reforça. Já Yossi Sheffi ressaltou que para nascer um cluster de inovação e logística é necessário um universo multimoldal. “Todas as plataformas são importantes para a formação de cluster. Portos, aeroportos e principalmente ferrovias e estradas. É nisso que Pernambuco deve focar se quiser ver Suape crescer”, diz. Sobre uma aproximação maior entre o Porto de Suape e o Porto Digital, Sérgio Cavalcanti, CEO do Cesar, que também esteve no evento, explica que a ideia é linkar empresas maiores a startups, apostando na parceria para buscar inovação, otimizar resultados, agilizar processos e diminuir custos.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois × um =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp