Demissão em massa na refinaria Abreu e Lima é homologada

Oito dias depois de realizarem um protesto uma demissão em massa na refinaria Abreu e Lima, em Ipojuca, na Região Metropolitana do Recife, mil e cinquenta funcionários tiveram o desligamento homologado nesta quarta-feira (19). Muitos deles moram em outras cidades e passaram a noite anterior na rua para garantir atendimento. Somente após a oficialização da demissão é que eles podem dar entrada no seguro desemprego, por exemplo.

Apesar de terem conseguido um acordo em que vão ter acesso rapidamente ao FGTS e ao seguro desemprego, eles ainda não sabem quando irão receber a multa por quebra de contrato e o 13º salário. O caso está na Justiça do Trabalho.

A empreiteira Qualiman foi contratada pela Petrobras em março do ano passado para realizar uma obra na refinaria de Abreu e Lima. Mas no último dia 9, a empresa pediu a rescisão contratual das obras da Unidade de Abatimento de Emissões (SNOX) da refinaria. A quebra de contrato começou a valer na segunda (10). Na ocasião, a empreiteira chegou a informar que a petrolífera descumpriu acordo e estaria devendo R$ 104 milhões.

Em nota, a Petrobras informou que cumpriu todos os requisitos e obrigações contratuais com a Qualiman Engenharia e Montagens Ltda. A companhia acrescentou ainda que avalia alternativas para a retomada das obras.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

10 − 4 =

Seja bem vindo ao SINDMETAL-PE

WhatsApp